ALBERTO CHIMAL – ficcionista

Daniele Aparecida Pereira Zaratin

Nascido no México de 1970, Alberto Chimal é considerado por muitos críticos literários como uns dos mais relevantes ficcionistas das letras hispânicas contemporâneas. Versátil em sua escrita, o mexicano transita entre os mais distintos gêneros, sendo autor de ensaios, poesia, peças de teatro, romances, contos e minicontos…
Continue a ler...

ALICE ATRAVÉS DO ESPELHO, literatura – Lewis Carroll

Ana Carla Vieira Bellon

A obra Alice Through the Looking-Glass and What Alice Found There foi publicada em contexto diferente de Alice in Wonderland, pois Lewis Carroll resolveu criar uma espécie de sequência do primeiro livro diante do sucesso que ele acabou fazendo. Mais planejado que o anterior e buscando manter as características de linguagem do primeiro…
Continue a ler...

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS, literatura – Lewis Carroll

Ana Carla Vieira Bellon

É comum que a primeira leitura desta obra, escrita por Lewis Carroll e publicada pela primeira vez 1865, provoque a necessidade de releitura, pois a radicalização de sentido é tal que dificilmente o leitor compreende seus mecanismos de modo instantâneo. Isso acontece porque além da construção de um mundo fantástico, ou maravilhoso…
Continue a ler...

ÁLVARES DE AZEVEDO – ficcionista

Vanessa Pansani Viana

Manuel Antônio Álvares de Azevedo (1831-1852) é um expoente da literatura romântica brasileira de caráter insólito, ao contrário de alguns de seus contemporâneos, que prezavam pela narrativa “real-naturalista” de caráter indianista ou de exaltação da natureza. Até mesmo especulações em torno de seu local de seu nascimento, em 1831, tornaram-se uma lenda…
Continue a ler...

ANDRÓIDE

Alexander Meireles

A Europa do século dezoito foi o palco de surgimento da palavra “Androide”, vindo a substituir, ao longo dos séculos seguintes, o uso do termo Autômato para designar seres artificiais orgânicos ou metálicos fabricados para terem o comportamento e a aparência física externa semelhante à dos humanos. Formado pela junção do grego Andro (Homem) e o sufixo oid…
Continue a ler...

BERNARDO GUIMARÃES – ficcionista

Fabianna Simão Bellizzi Carneiro

Poeta, contista, romancista, professor e juiz de Direito, Bernardo Guimarães nasceu em Ouro Preto no dia 15 de agosto de 1825, e aos quatro anos de idade mudou-se com os pais para Uberaba, Minas Gerais. Aos 17 anos aderiu ao exército chimango que, em marcha direcionada à capital por conta da revolução liberal de 1842 que se abate sobre Minas Gerais…
Continue a ler...

BRUXA

Ana Carolina Lazzari Chiovatto

No Dicionário Houaiss, consta como primeiro registro do termo “bruxa” (1559) a seguinte definição: “mulher que tem fama de se utilizar de supostas forças sobrenaturais para causar malefícios, perscrutar o futuro e fazer sortilégios, feiticeira”. A segunda acepção, por extensão de sentido, diz: “mulher muito fria e/ou azeda e mal-humorada”…
Continue a ler...

CASTELO DE OTRANTO (O), literatura – Horace Walpole

Ana Sofia Louro

The Castle of Otranto (O Castelo de Otranto) é um romance de Horace Walpole (1717-1797) publicado anonimamente pela primeira vez em 1764 e considerado a obra pioneira do género literário Romance Gótico. À sua segunda edição e ao seu subtítulo “A Gothic Story” remonta a primeira utilização do termo gótico aplicado a uma obra literária…
Continue a ler...

CHARLES BAUDELAIRE – ficcionista

Renata Philippov

Charles-Pierre Baudelaire (1821- 1867), um dos mais importantes poetas franceses do século XIX, foi também ensaísta e crítico de arte e teve uma vida errática e conturbada. Orfão de pai aos seis anos foi “adotado” pelo padrasto, o militar Aupick, com quem teve uma convivência muito difícil. Desde cedo externou uma personalidade intensa, sendo expulso da escola e reprovado no Baccalauréat…
Continue a ler...

CIBORGUE

Alexander Meireles

Na mitologia grega, atribui-se ora ao deus Hefesto (o Vulcano dos romanos) ora a Dédalo a criação do primeiro ser artificial: o gigante Talos. Talos protegia a ilha de Creta rodeando a cidade e atacando os navios inimigos que ameaçavam o local (BRANDÃO, 1986, p. 175). O gigante de bronze possuía uma artéria interna que percorria todo o seu corpo metálico…

Continue a ler...

CIENCIA FICCIÓN CHILENA

Guillermo González Hernández

La primera obra de ciencia ficción escrita y publicada en Chile, según la investigación de Andrea Bell (1995), es Desde Júpiter de Francisco Miralles, la cual fue publicada bajo el seudónimo de Saint Paul en 1877 y, posteriormente, reeditada en 1887 con dos cambios relativamente significativos: primero, la sustitución del seudónimo por el nombre del autor…
Continue a ler...

CIENCIA FICCIÓN ITALIANA

Raul Cianella

Las últimas décadas han conocido un incremento del interés por la ciencia ficción (en adelante cf) por parte de la academia italiana, gracias a su mayor abertura a campos interdisciplinarios como los estudios culturales y, contemporáneamente, a un mayor interés internacional por recopilar la historia y la crítica del género en diferentes países…
Continue a ler...

CRISTINA FERNÁNDEZ CUBAS – ficcionista

David Roas

Cristina Fernández Cubas (Arenys de Mar, 1945) es una de las maestras indiscutibles de la narrativa fantástica contemporánea en español. Ha sido galardonada, entre otros, con el Premio Nacional de Narrativa (2016) y el Premio de la Crítica (2016). Es autora de seis libros de cuentos: Mi hermana Elba (1980), Los altillos de Brumal (1983), El ángulo del horror (1990)…
Continue a ler...

DUPLO – antiguidade

Aurora Gedra Ruiz Alvarez

A Bíblia (1995), especialmente no Antigo Testamento, escrito provavelmente entre 1500 e 450 a.C. está povoada de narrativas de duplos, que se distinguem daquelas de natureza cosmogônica, como as de Caim e Abel, de Esaú e Jacó, da arca de Noé, entre outras. Nas duas primeiras, a duplicidade apresenta-se como resultado de conflitos interiores…
Continue a ler...

FANTÁSTICO – categoria

David Roas

Lo fantástico se construye a partir de la convivencia conflictiva de lo posible y lo imposible. Y dicha condición de imposibilidad se establece, a su vez, en función de la concepción de lo real que manejan tanto los personajes como los receptores: lo imposible es aquello que no puede ser, aquello que es inconcebible (inexplicable) según dicha concepción…
Continue a ler...

FICÇÃO PÓS-APOCALÍPTICA

Ariel Gómez Ponce

Ficciones pos-apocalípticas es la categoría utilizada para englobar el conjunto de narrativas dedicadas a imaginar las consecuencias de cataclismos mundiales. Se trata de una forma muy recurrente en la literatura del siglo XX y XXI, aunque su explosión masiva se deba principalmente a la ciencia ficción y el fantástico cinematográfico de mediados de siglo pasado…
Continue a ler...

FRANKENSTEIN, literatura – Mary Shelley

Jaqueline Bohn Donada

A trajetória de Frankenstein, tanto no meio acadêmico quanto na cultura popular, é das mais notáveis na história da literatura inglesa. Escrito entre 1816 e 1817 e publicado em 1818, o primeiro romance de Mary Shelley testemunhou o surgimento e o desenvolvimento de fenômenos artísticos e históricos que estão no centro da vida cultural e social contemporânea…
Continue a ler...

GÓTICO – gênero literário

Pampa Arán

La difícil y problemática cuestión del género que, en este caso, está inspirada en el concepto de Bajtín (1982) y que sostiene no admitir el género como una categoría universal o puramente retórica, sino como una categoría sociohistórica y variable, vinculada a otros sistemas discursivos, a prácticas y a instituciones, no siempre literarias. Aunque parezca paradoja…
Continue a ler...

H. P. LOVECRAFT – ficcionista

David Roas

H. P. Lovecraft (Providence, Rhode Island, 1890-1937) es uno de los grandes renovadores de lo fantástico, el terror y la ciencia ficción, aunque fue un escritor casi desconocido antes de su muerte: la mayor parte de sus textos publicados aparecieron en revistas pulp, sobre todo en la célebre Weird Tales, y sólo publicó un libro en vida: The Shadow over Innsmouth (1936)…
Continue a ler...

HORACIO QUIROGA – ficcionista

Ana Lúcia Trevisan

Horacio Quiroga, que nasceu em 1878 na cidade de Salto, no Uruguai, teve uma vida marcada por inúmeros infortúnios trágicos. Com apenas três meses de vida, seu pai dispara acidentalmente uma arma e morre na frente de sua própria família. Aos dezoito anos, ocorre a trágica morte de seu padrasto, Ascênsio Barcos, que se suicida, uma vez vitimado por uma paralisia generalizada…
Continue a ler...

INCOMUM

Flavio García

Ver INSÓLITO FICCIONAL –
“O vocábulo insólito, formado por derivação prefixal a partir de sólito, o qual significa, em linhas gerais, usado, habitual, costumeiro, frequente, ocorre nas línguas neolatinas tanto como adjetivo, quanto como substantivo, denotando, negativamente, além dos sentidos opostos àqueles expressos por sua construção afirmativa, extraordinário”…
Continue a ler...

INFERNAL DESIRE MACHINES OF DR. HOFFMAN (THE), literatura – Angela Carter

Emannuel Gonçalves Gomes

The Infernal Desire Machines of Doctor Hoffman (1972), publicado nos Estados Unidos como The War of Dreams, é o sexto romance da escritora britânica Angela Carter. Para Rapucci (2017, p. 108), o romance é uma denúncia por Carter dos abusos sofridos pelas mulheres, feito em uma chave que parece ser aquela pela qual a autora compreendia…
Continue a ler...

INSÓLITO FICCIONAL

Flavio García

O vocábulo insólito, formado por derivação prefixal a partir de sólito, o qual significa, em linhas gerais, usado, habitual, costumeiro, frequente, ocorre nas línguas neolatinas tanto como adjetivo, quanto como substantivo, denotando, negativamente, além dos sentidos opostos àqueles expressos por sua construção afirmativa, extraordinário, raro, singular…
Continue a ler...

JORIS-KARL HUYSMANS – ficcionista

Daniel Augusto Pereira Silva

Nascido em Paris, em 5 de fevereiro de 1848, Joris-Karl Huysmans, nome artístico de Charles-Marie-Georges Huysmans, foi um escritor e crítico de arte francês. Ao longo de sua carreira, praticou diversos gêneros, tais como a poesia, o poema em prosa, o romance, o conto, a novela, a hagiografia, a pantomima, a crítica artística, entre outros…
Continue a ler...

JOSÉ SARAMAGO – ficcionista

Eloisa Porto Braem

José (de Souza) Saramago (Azinhaga, 16/11/1922 – Lanzarote, 18/06/2010), vencedor do prêmio Nobel de Literatura de 1998, foi autor de uma extensa obra literária, composta de romances, contos, crônicas, poesias, peças teatrais, livros de memórias e viagens, com vários títulos adaptados para o cinema e até para a ópera. Sem abandonar o diálogo com a tradição histórica…
Continue a ler...

LEWIS CARROLL – ficcionista

Ana Carla Vieira Bellon

Pseudônimo de Charles Lutwidge Dodgson (Daresbury, 27 de janeiro de 1832 — Guildford, 14 de Janeiro de 1898), Lewis Carroll marca a autoria da produção literária do autor inglês cujo efeito insólito ficcional é absolutamente potente e marcante. De forma semelhante, também suas fotografias são atravessadas pelo insólito ficcional….
Continue a ler...

MARAVILHOSO-CIENTÍFICO

Bruno Anselmi Matangrano

Mais do que apenas um gênero literário nascido na virada do século XIX para o século XX, o maravilhoso-cientifico se estruturou em um movimento surgido na França na década de 1890 tendo perdurado até cerca de 1930, embora seus ecos ainda possam ser sentidos em produções contemporâneas. O nome foi pego emprestado dos escritos de Marcel Réja…
Continue a ler...

MARIA FIRMINA DOS REIS – ficcionista

Fernando Monteiro de Barros

Maria Firmina dos Reis (1822-1917) foi uma escritora maranhense cujo único romance, Úrsula, publicado em São Luís em 1859, permaneceu praticamente desconhecido até ser descoberto em uma loja de livros usados em 1962. O romance foi reeditado em 1975 e, nos últimos anos, vem sendo objeto de um crescente interesse acadêmico…

Continue a ler...

MÁRIO DE CARVALHO – ficcionista

Luciana Morais da Silva

Mário de Carvalho caminha pelas sendas da ficção, aliando posicionamentos críticos ao riso, à ironia e à manifestação do inaudito – termo que, aliás, aparece no título de uma de suas obras, “A inaudita guerra da Avenida Gago Coutinho” (1992, p.27-35). Suas aventuras são construídas na literatura – crônicas, contos, novelas, romances etc. –, no teatro, no cinema…
Continue a ler...

MIA COUTO – ficcionista

Luciana Morais da Silva

Mia Couto aprendeu, desde pequeno, em seu lar, o amor pelos homens, pelos livros e pela literatura (CHABAL, 1994, p.275). Em suas próprias palavras, “a transgressão poética é o único modo de escapar […] à ditadura da realidade. Sabendo que a realidade é uma espécie de recinto prisional fechado com a chave da razão e a porta do bom-senso” (2009, p.117)…
Continue a ler...

OSCAR WILDE – ficcionista

Shirley Carreira

O único romance de Oscar Wilde (Dublin, 16/10/1854 – Paris, 30/11/1900), O retrato de Dorian Gray, foi publicado em 1891. Acusado de escrever um livro imoral, voltado ao hedonismo e com tendências homoeróticas, Wilde achou necessário revisar a obra, acrescentando mais sete capítulos, nos quais criou novos personagens e modificou o enredo, além de um prefácio….
Continue a ler...

RODRIGO REY ROSA – ficcionista

Rodrigo de Freitas Faqueri

Nascido na Guatemala em 04 de novembro de 1958, Rey Rosa é um dos novos nomes da literatura hispano-americana contemporânea. Depois de abandonar a carreira de Medicina em seu país, residiu em Nova York e em Tanger. Em sua primeira viagem ao Marrocos conheceu o escritor Paul Bowles, que foi o primeiro tradutor de seus livros para o inglês…
Continue a ler...

ROMANCE GÓTICO

Ana Sofia Louro

O Romance Gótico foi descrito por Montague Summers (1880-1948) como um romance de escape que permite ao leitor afastar-se dos problemas e das tristezas da vida real (1938, p. 12). Foi e é um dos géneros literários mais influentes, celebrizando, numa fase inicial, autores como Horace Walpole (1717-1797), Ann Radcliffe (1764-1823) e Matthew Lewis (1775-1818)…
Continue a ler...

SALMAN RUSHDIE – ficcionista

Shirley Carreira

O primeiro livro de Salman Rushdie, intitulado Grimus (1975), não obteve sucesso, mas já continha a semente do que viria a se tornar sua marca registrada: a inusitada mistura entre o romance histórico e o realismo mágico (AMANUDDIN, 1989). O romance, que aborda de forma insólita questões cruciais como o hibridismo, o exílio e a transexualidade…
Continue a ler...

SAMANTA SCHWEBLIN – ficcionista

Maria Luiza Atik

Samanta Schweblin nasceu na Argentina, em 1978, onde estudou Cinema e Televisão, na Universidade de Buenos Aires. Aos vinte anos iniciou a sua carreira literária, sendo logo reconhecida pelo público e pela crítica. Em 2001, seu conto “Hacia la alegre civilización de la capital”, recebeu o prêmio do Concurso Nacional Haroldo Conti…
Continue a ler...

VILLIERS DE L’ISLE-ADAM – ficcionista

Bruno Anselmi Matangrano

Auguste de Villiers de L’Isle-Adam (Saint-Brieuc, 1838-Paris, 1889) foi um ficcionista e dramaturgo francês, cujas obras costumam ser associadas ao movimento simbolista e à estética decadente que marcou a segunda metade do século XIX. Dotado de uma prosa arcaizante e bastante poética, marcada por expressões latinas, pontuação abundante e esdrúxula…
Continue a ler...